a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quinta-feira, 6 de março de 2008

Ana Crónica Redux

A fábrica das bolachas está desde ontem que parece a ponte de comando da USS Enterprise (pessoa passa torniquete, pessoa senta-se no terminal, faz login, escolhe lugar e pede livros num ápice de clicadelas). Em contraste, tenho a conta de google com e-mails em atraso e o meu telemóvel está sem funcionar há quase dois dias (a menina Vodafone foi simpática, mas disse-me que não tinha ali à venda baterias para modelos nokia com mais de ano e meio, remetendo-me para o indiano do bairro. Au.) Espero poder voltar a comunicar com alguma normalidade até amanhã ao final do dia. Aqui a autista pede sinceras desculpas a quem está por levar resposta.

8 comentários:

Emanuel disse...

Pois eu updatei o meu acesso à rede (linha e terminal). Por mim podes voltar a colocar fotos de resolução microscópica (= tamanho macro). :)

(estou maravilhado com esta coisa dos RSS feeds)

Anónimo disse...

Vendo baterias para contas de google, baratinhas.

Ana Cláudia Vicente disse...

Pois que e-cartas já estão praticamente em dia, mas o telemóvel ainda se apresenta comatoso.

Ana Cláudia Vicente disse...

Emanuel, é verdade: eu sei "que há mais marias na terra", mas por acaso és o Emanuel da Magna, ou é só uma coincidência homónima?

Emanuel disse...

Coincidência. Uma desvantagem do nome que me deram é achar que me pertence em exclusivo. :)

Ana Cláudia Vicente disse...

Não leves a mal, perguntei só porque, se bem me lembro de um e-mail, o sobrenome também é parecido. Mas sempre terás menos torcicolos que eu, quando alguém chama alguém na rua - afinal, as Anas são as Marias desta geração.

Emanuel disse...

Pensei que Magna era um lugar ou instituição, sei lá... Como apelido começa com as mesmas letras, mas fora isso não é lá muito parecido :)
Quanto a torcicolos, as Anas não estão já imunes a chamamentos de estranhos?

Ana Cláudia Vicente disse...

Esqueci-me de dizer "Editora", pois foi.
Não estamos imunes, não :) Seja por reflexo, seja por ilusão de singularidade, não estamos.