a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

A Vida Antes da Vida no Limbo Ideológico

O que aconteceu entretanto não sei, mas parece-me evidente que em 1978 era uma pessoa de direita. Olhai a facies, o penteadinho, a pose de Estado.

15 comentários:

Francis C. Afonso disse...

Estás um João Pereira Coutinho, mas em pequenino.:)

Anónimo disse...

Não acontece nada. Ninguém muda. Conheces alguém que mudou? Vejo-te, sempre, impecavelmente penteada, por exemplo!

francisco carvalho disse...

:)

(sempre em grande!)

beijos

Rui Castro disse...

apesar de estar sentada à esquerda :-)

graziela disse...

a pose está perfeita, a perninha cruzada o bracinho estendido.
o ar calmo e introspectivo de criança feliz.
está linda!
um abraço

Abbie disse...

Gosto especialmente da maneira como o braço (direito) se estende, relaxado. :)

Ana Cláudia Vicente disse...

Frank-o,
com as devidas ressalvas, que nem eu era máscula nem ele parece efeminado :)

Anónimo/a,
eu acredito que as pessoas mudam, sim; e parece-me que me conhece(?), ainda que me pareça que não foi meu colega nos últimos anos da faculdade (o meu despenteado, nas palavras de certo bom amigo, causava "impacto ambiental", eh,eh);

Francisco, beijitos também;

Rui,
à esquerda de quem olha a foto, mas, do ponto de vista de quem faz a pose, mais à direita era difícil :);

Graziela, Abbie,
aposto que foi tirada entre o almoço e a sesta :)

Emanuel disse...

O dedinho esticado também é um "indicador" de direita :)

(Oh Cláudia, esta foto em ponto grande ficava bem na secção do pós-modernismo do Berardo :P)

Bruno Duarte Eiras disse...

Com esta bela foto não podia deixar de comentar... Estás muito bem! Um excelente exemplo da fase "pré-impacto ambiental"!
Bjs

David Soares disse...

Adorei a foto! Eras uma pessoa de direita na esquerda do sofá ;)

Ana Cláudia Vicente disse...

Emanuel,
nesse detalhe não tinha reparado :)
E como mega-instalação, não sei se ficava melhor no pós-modernismo, se na arte naïf, se na pop (aquele crochet, colcha e almofadas da minha avó são um desafio à categorização)

Bruno, David,
abraços :)

Anónimo disse...

Sem saber de quem se trata, qualquer pessoa diria: olha o Cavaco, quando era pequenino!

emanuel disse...

Na casa dos meus avós também há lá uns Jeff Koons e David Hockneys... ;)

Ana Cláudia Vicente disse...

Será que o Presidente tinha bochechas, quando era bebé?

Anónimo disse...

Se calhar tinha, pois já devia apreciar bolo-rei.

Agora a sério, a foto está excepcionalmente «bem-caçada». A pose, então, está excelsa.