a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 14 de março de 2007

Coisas Que Só A Mim Apoquentam XL

Se posso fazer desta minha caixa geral de propósitos o que quiser, de onde vem tanta cautela, tanta poupança, tanta rarefracção? Onde estão os ditos longos, os parágrafos? Onde foi o fôlego?

5 comentários:

Pearl Fosky disse...

E mais dificil escrever comedidamente, amiga.

Nao tenho paciencia para essas verborreas infindas que aparecem por certos blogs.

Fica-te bem a poupanca. Faz-nos pensar...mas que raio quer ela dizer - assim como numa obra d'Arte.

Anónimo disse...

Também prefiro a brevidade. Só pecas por intermitência. (quero o dinheiro de volta ;-)

Emanuel

Ana Cláudia Vicente disse...

Pearl,
acho que é mais defeito que feitio;

Emanuel,
ainda assim, não sou das mais bissextas :)

João Villalobos disse...

Mas que é isto?! Vamos a deixar-nos de lamúrias que está muito bem assim. Difícil não é escrever muito, é escrever bem (olha que eu, a dizer isto, até parece mal :)
Beijos

Ana Cláudia Vicente disse...

(estou sem acentos)
Dr. Villalobos, bons olhos o leiam! Grata pelo raspanete, ando um bocado choninhas, ando :)