a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

São João do Peso, Rua Professor Oliveira Brás

Do lameiro ouvia-se um latido vago, mais nada. O nevoeiro cobria tudo. O escritor não se sentia bem ali - a terra do sangue era mais consumição que outra coisa. Quando alguém andava em parte incerta era de uso dizer-se

-  anda na várzea, esse

 como se ela fosse causa da baralhação.

2 comentários:

nils disse...

Se há coisa que não percebo é como é que estes descaminhos ainda não deram um livro...

Cláudia [ACV] disse...

Olá, Nils, como vais?

Julgo que ainda não são caminhos suficientemente bons; ainda são hesitantes, ensimesmados, dispersos.