a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

sábado, 21 de junho de 2008

Lisboa, Rua Castilho

Por várias razões todas elas tão justificadas que dá para apresentar comprovativo carimbado, não consegui ver um só jogo da selecção do princípio ao fim. Pude, porém, cruzar quarteirões à escuta deste Portugal a duas velocidades, dando por uma das únicas coisas fixes que os pobres (sans-cable) recebem primeiro que os ricos (avec-cable) - os golos.

5 comentários:

Emanuel disse...

Ahahah, tu também? Aqui no bairro até dava vontade de gritar da janela GOLO à vasta plateia nas esplanadas 5 segundos mais longe, mas era maldade (e imprudência) a mais. :)

mdsol disse...

mas o desporto tem (também) essa desconcertante virtualidade!
:)

menina limão disse...

:D

Também reparei nisso e adorei a ironia. E não vi nenhum jogo, mas porque estou a borrifar-me.

Ana Cláudia Vicente disse...

Emanuel,
imprudência sim, maldade talvez não :)

Mdsol, terá, pelo menos nas suas modalidades mais pop;

Limenina,
pelas tais várias razões, o meu entusiasmo por este Euro foi inversamente proporcional ao anterior. E já agora: que linda mazurca aquela, gostei tanto de ver!

menina limão disse...

:')