a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Já que entramos no mês das quadras

, aqui fica esta de Pessoa:

O capilé é barato
E é fresco quando há calor.
Vou sonhar o teu retrato
Já que não tenho melhor.

É que pode não estar calor, mas finalmente bebi o meu primeiro capilé. Sempre há dias em que a discronia compensa.

5 comentários:

esquilo disse...

acho que também sofro da doença e parece-me incurável. mas de facto há compensações, uma delas é este blog e a groselha ou o capilé claro, do qual já (quase) ninguém fala...

boa semana!

Anónimo disse...

Primeiro, o capilé estranha-se. Mas depois entranha-se.

Ana Cláudia Vicente disse...

Esquilo, qualquer dia volto à groselha; de tão corriqueira, nunca mais lhe liguei nenhuma;

Anónimo (a), está-me a querer parecer que sim...

mdsol disse...

as quadras podem ser pares
de versos bem rimadinhos
ou modo de saudares
O blog quatro caminhos
:)

Ana Cláudia Vicente disse...

mdsol, obrigada: é quadra digna do melhor manjerico :)