a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

sábado, 14 de junho de 2008

Dia Onze Mil Duzentos e Vinte e um

A mesma teima no detalhe. Maior dificuldade com a ternura. Saudades de praticar yoga. Um pouco mais no comprimento de onda do resto do mundo.

2 comentários:

CLeone disse...

Pois sim, estive lá hoje e não apareceste...

Ana Cláudia Vicente disse...

É verdade. Coisa de força maior.