a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

domingo, 27 de abril de 2008

Feierlich und gemessen, ohne zu schleppen


Gustav Mahler ainda não tinha chegado aos trinta anos quando compôs a primeira versão desta sinfonia em Ré Maior. Ao nada consensual e também muito germânico Christoph Eschenbach, vemo-lo aqui em plena condução da Orchestre de Paris. Curioso: só percebi realmente a crónica contida num post de há tempos, que me pareciam poucos, depois de ouvir este terceiro movimento.

4 comentários:

Emanuel disse...

Ah, foste ao concerto no Coliseu, aqui há dias?
Bendito centenário que se aproxima!

Ana Cláudia Vicente disse...

sniff, não...

Nunca ouvi Mahler ao vivo, devo confessar. Sei que no CCB a Nº2 foi tocada em Janeiro, no Coliseu não soube de nada.

LUIS MIGUEL CORREIA disse...

Uma busca por D. PEDRO IV trouxe-me aqui de novo, desta vez sem pseudónimo. Sempre um espaço de letra criativa e originalidades várias. Continue...

Luís Miguel Correia

Emanuel disse...

Ao do coliseu também não fui, mas Mahler ao vivo são decibeis e watts imperdíveis :)
Até 2011 não devem faltar oportunidades.