a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

Caracóis, Sandálias e Traições

Marco António ungido Tribuno do Povo, ou de como há sempre alguém que acha a tradição pura fantochada, alguém que acha que o mundo começou consigo. Átia recebendo Lúcio e Tito, demonstrando porque é Júlia dos quatro costados: sedutora no trato, rápida no pensamento e na acção, aptíssima a antecipar meios para a sua sobrevivência e a dos seus. Octaviano observando, absorvendo, sobretudo.O Senado e a importância sagrada da voz. Está dito, está dito. Pompeu equivocando-se sobre César, et vice versa. Lúcio e Niobe ainda se conhecem? Sete anos é muito tempo. Não se regressa, muito menos de uma guerra. Começa-se outra vez. E às vezes as primeiras impressões são correctas.

Adenda: A sobranceria de Catão frente à popularidade (ou populismo?) de César e da sua Legio XIII é tão suicidária que custa a crer que tenha ocorrido assim. Quanto às cenas de debate no Senado, o que imediatamente me ocorre são flashes de Taiwan e da Geórgia, é irreprimível.

2 comentários:

Mipo disse...

"A sobranceria de Catão frente à popularidade (ou populismo?) de César e da sua Legio XIII é tão suicidária que custa a crer que tenha ocorrido assim" - olha que se não foi mesmo assim, é capaz de não andar muito longe... enquadra-se bastante na imagem que dão dele noutros relatos

Ana Cláudia Vicente disse...

Mipo, não sei o suficiente sobre o período para estar segura, como tentei dizer. Terei que ler mais para ter mais que uma simples impressão, que é o tanto que vale o meu comentário "serial".