a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

terça-feira, 20 de setembro de 2005

A River Runs Through It

Que confusão me faz quem se comporta como se a vida fosse uma sequência de fases eliminatórias, infância, adolescência, juventude, maturidade, meia-idade, velhice, cada momento anulando o momento anterior. Como se cada pessoa fosse diferente pessoa em cada um deles. Como se a gente não tivesse uma mesma alma, como se a gente não se acumulasse, não se guardasse do tempo.

2 comentários:

ana disse...

há quem se resguarde da acumulação do tempo, são os que "estacionam" numa das fases (geralmente a juventude). Compreendo-os menos dos que vivem o dia a dia,os que não querem acumular passado (não querem mas no subterrâneo dos gestos ele está lá).

Ana Cláudia Vicente disse...

Porque será, Ana? De onde vem este impulso a-histórico que satura os nossos dias?