a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Fui a lado nenhum, v. low tech (pedido de desculpas em não muitos pixels)

O totem mais neurasténico que a indústria chinesa já produziu é meu meu meu, já o arremedo punny copiei-o de um sonho do Tony Soprano. Desculpem-me o atraso nos posts, e-mails, telefonemas, cartas e conversas em tarde-e-osso, as letras consomem-se-me quase todas nos dias e ainda me faltam, por isso eu pouco sobro. Ando só tão só tão cansada. Isto para dizer que não que me fui embora, não me vou embora.

6 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Ainda bem, Ana Cláudia, são garantias dessas que nos fazem voltat.
Eu, por exemplo, estou agora aqui:
corta-fitas.blogs.sapo.pt/

Beijinho

Emanuel disse...

Há uns que se vão extinguindo assim, mas se dizes que não, hourray! :)
Keep it easy.

Coupa-terra, poupa terra... disse...

Com a CP nunca se sabe... Mas, CARAMBA, tanto tempo de Alfarelos para o Oriente! Fico mais descansada.

hmbf disse...

Força.

Ana Cláudia Vicente disse...

Paulo, Emanuel, Capa, Henrique, abraços a todos.

menina limão disse...

:)