a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Coisas Que Só a Mim Apoquentam LVII

Dos remates retóricos mais em voga nas últimas estações, o quem não percebe isto, não percebe nada é um dos meus preteridos. Tentar fechar um argumento à chave revela uma surpreendente insegurança nos méritos do mesmo, para além de uma vontade adolescente de inibir qualquer outro.

2 comentários:

Anónimo disse...

Oh, Ana Cláudia, e quem não percebe isso que acabaste de escrever - não percebe nada :)

Mário

Ana Cláudia Vicente disse...

Mário, aguardo a convicção para anuir um oh-effing-yeah a isto, como ao mais (quem sabe com as próximas chuvas?)