a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

terça-feira, 13 de maio de 2008

Queluz, Rua dos Lusíadas

[Fim de dia no supermercado. A juventude funcionária limpa as bancas refrigeradas.]

Rapagão-Assistente do Talho - Ai, que se minha mãezinha me visse de pano na mão vinha-me já buscar!

Rapagão-Chefe do Talho - Não estudaste, pois não? Atão aguenta-te, que...

Menina da Charcutaria - ...eu estudei e estou aqui à mesma!

8 comentários:

Anónimo disse...

Mas a menina da charcutaria sempre avia enchidos...

esquilo disse...

estudar é como subir a uma montanha.às vezes pode parecer não servir de muito mas servirá sempre para vermos mais longe e alargar horizontes...

Clau disse...

É o assombroso futuro que irá calhar ou já calha a alguns de nós.É assustador, mas é o mais realista.

Também és de Queluz? Estamos em força pelo mundo da blogosfera.

Ana Cláudia Vicente disse...

Assim penso também, Esquilo;

Também vivo pelos arrabaldes, Clau [muito estranho, acabar de escrever um petit nom que também é por vezes o meu :) ].

menina limão disse...

:p

eu gostava de conseguir reproduzir o diálogo irritante que ouvi hoje na Blockbuster. Porra, há gente incrivelmente básica. Como membro do Cineclube de Aveiro, ver aquela demonstração de estupidez foi como levar um murro na trombinha, perceber que aquele casalinho fofo é um exemplo de como a maioria das pessoas pensa.

Ana Cláudia Vicente disse...

A blocbosta cá da minha terra fechou, mas no vídeoclube do quarteirão ouço pérolas irreprodutíveis, também [sobretudo dos clientes que reclamam, desiludidos, com os 'filmes parados' (ou seja, todos os que não têm perseguições de carros, diálogos chalaceiros, porrada, etc)].

menina limão disse...

blocbosta é tão bonito. nunca me tinha ocorrido.

Emanuel disse...

blocbosta, ahahah
:)

(estas palavras de verificação também são giras: iiekdwix)