a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Acresce ao intrinsecamente deprimente

panorama geral carnavaluso a máscara pré-confeccionada. Pior que o eterno retorno do pierrot, da espanholita, do cowboy e do macho-matrafona (esse mesmo, o bêbado de collant rasgada e perna peluda, peruca loira-lixívia, bâton no bigode, saia de napa e malinha a dar a dar), é esta adesão progressiva dos pais à compra da fatiota infantil integral, horrivelmente standardizada, mal feita - chata. Coitados destes putos, enfiados em fantasias sem fantasia nenhuma.

3 comentários:

rui disse...

Olha... lembrei-me deste post hoje, quando ouvi, no autocarro, um miúdo dos seus 6 ou 7 anos perguntar "ó mãe... porque é q eu estou mascarado?"

Anónimo disse...

Eu (que nestes dias de Carnaval mal saio de casa) vou dizer uma coisa politicamente incorrecta: o único corso tuga (ou festejo, ou lá o que é) que na TV não parece "rastacuera" é o da Madeira. Se na realidade é assim , não garanto.

Ana Cláudia Vicente disse...

Rui, ali ia mais um existencialista em trânsito, portanto :)

Anónimo,
eu diria o da Madeira, o de Torres Vedras, talvez até, em certos anos, o de Setúbal; mas sim, o resto é mais Carnavau tropicau em Portugau :(