a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Publicidade no QC



, só mesmo a pretexto de ver o Wes Anderson *suspiro* andar de um lado para o outro. O que este homem e a sua filmografia têm agravado o meu fraco por narigudos, não vos digo nem vos conto.

3 comentários:

Anónimo disse...

E um nariz grande quer dizer mais qualquer coisa. Pelo menos, é o que se ouve por aí.

Vodka e Valium 10 disse...

Já um amigo meu diz que é incapaz de se apaixonar por uma mulher que não tenha um nariz protuberante, comprido, torto, grande, adunco
(já eu é com as maçãs do rosto e caras com forma de bolacha)
. Creio que isso diz sempre qualquer coisa sobre nós, mas não sei o quê.

Ana Cláudia Vicente disse...

Anónimo, estava a ser aborrecidamente literal, mas psicanalise à vontade;

V&V, então partilha a predileccção sarkozyana por malares :)