a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 7 de março de 2007

Literálea

Se nos olhássemos quando a contradição violenta nos ocupa, não dávamos por nós. A perplexidade transfigura-nos.

6 comentários:

Pearl Fosky disse...

O que????!!!

Ana Cláudia Vicente disse...

Os sentimentos contraditórios alteram a fisionomia, fragilizam-na incrivelmente. Pensei nisto ontem, ao observar alguém que teve um dia marcado por grande tristeza e felicidade. Não sei explicar bem.

Rui MCB disse...

Só percebi o que "estava mal" na fotografia quando já de regresso a casa li o blogue.

Beijos!

Pearl Fosky disse...

Eu estava transfigurada, percebes? Nem me reconhecia...quando perdemos as estribeiras e o mesmo...se nos vissemos entao...

Ana Cláudia Vicente disse...

Um beijinho, Rui, e outros dois para a mulher grande e a mulher pequenina (outra grande apreciadora de pão, já li :))

Pearlie, a expressão colérica é muito pouco abstracta, lá isso...

Rui MCB disse...

:-)