a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Ensinaram-me, avós e mãe. Em todas as casas se bebia, segue bebendo, no bem e no mal estar. Vem do quintal, do jardim do tio, da lata fina inglesa, francesa, da pequeno pacote moçambicano, indiano. Não deixo o que houve e o que segue havendo, se bebo o mundo.

6 comentários:

Anónimo disse...

A imagem está trocada. Devia ser uma garrafinha de Coca-Cola!

Patanisca disse...

E bem quente, aquece-nos a Alma!

Ana Cláudia Vicente disse...

Anónimo,
cocoquê?

'nisca,
precisamente!

cp disse...

e para além do mundo, já o tens na versão colorida!... é quase beber a latinha da Caran D`Ache...

António Rosa disse...

Este é um texto igual para vários blogues:


Por ter decidido criar a “Escola de Astrologia Nova-Lis”, mantendo ao mesmo tempo, a minha actividade de editor do “Anjo Dourado” necessito de TEMPO para me dedicar àquilo que mais gosto: os livros e a astrologia.

Por isso, decidi apagar o meu blogue “Postais da Novalis” no próximo dia 5 de Fevereiro. Não o faço mais cedo, porque nesse mesmo dia ainda farei o post colectivo da “Rede de Blogues Espirituais”.

Sou dos que entendem que, quando se desiste de um blogue, se deve apagá-lo completamente, para que não fique por aí a vaguear, criando energias paradas, que se vão transformando em restos energéticos negativos.

Como entendo que uma coisa leva à outra, também venho solicitar o favor de retirar este meu blogue da sua lista de linques, de modo a que o seu sítio fique energeticamente limpo e bem arejado.

Agradecido por este tempo de convívio,

António Rosa

Ana Cláudia Vicente disse...

cp,
:)

António,
acedo ao seu pedido, claro. Até uma nova oportunidade, votos de sucesso para os seus novos projectos; até uma próxima oportunidade,
acv