a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Acontece

-me às vezes, na maré cheia dos do fim do dia, subir do metro ao comboio e levar de chapa no peito com um amor por todos, todos.

10 comentários:

Pearl Fosky disse...

O que?
Do metro para o comboio? Isso e porque andas a aspirar o sovaco do vizinho. Encontras-te, portanto, under the influence.

Acabei de te deixar uma mensagem de boas vindas no teu outro antro (OADP) num post que nao tem nada a ver contigo, ve la...fim do dia...fim do dia...

Welcome back!

francisco carvalho disse...

Acontecem
-me às vezes estas coisas estranhas...
Resolvi, não sei bem porquê pois desde Setembro que não o fazia, entrar de novo por estes Quatro Caminhos e, para meu espanto, já não se vê deles o fim...
Bem haja!

cp disse...

Ora aí estão 2 meios de transporte que não "conheço"... Sensações perdidas!...

Anónimo disse...

Eia, eia! Estás de volta, e com imagens! :)

Emanuel

magarça disse...

Ouvi falar num blogue vizinho da reabertura desta estação, que conheci ouco antes do encerramento. Volta a ser paragem obrigatória :)

Capa Rota disse...

Melhor de chapa que de chapão!

ana disse...

como te percebo...também ando de transportes públicos. Será que aqueles ares de desalento se transformam em sorrisos à chegada a casa? Ou em gritos? Ou em solidão?

Ana Cláudia Vicente disse...

Pearlie, many thanks de D.U.I. já tinha ouvido falar, de W(alking).U.I. ainda não :)

Francisco, olá, cá estamos [um abraço]!

CP, não seja possidónia, que eu conto já aqui as nossas viagens no regional da meia-noite para a Campanhã, no meio da soldadesca!

Olha o Emanuel! A iconoclastia segue dentro de momentos :)

Magarça, bem vinda, obrigada :)

Capa, minha artista da pelingrafia...

Ana, não sei,mas das seis em diante ninguém cuida disfarçar, e ainda bem.

Carla de Elsinore disse...

olha, olha e não diz nada ;-)seja bem aparecida

Ana Cláudia Vicente disse...

Olá, Carla, obrigada!