a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

terça-feira, 25 de julho de 2006

Sintra, Praça da República

Íamos buscar água à fonte de cima, depois brincávamos um pouco no largo, antes dos travesseiros. Esperava a minha vez com falsa paciência; em recebendo o meu, comia-o num acto, naquela pressa de gula e de aproveitarmos o fim da luz para brincarmos um pouco mais.

2 comentários:

Rui Castro disse...

Essa fonte qual é? A que fica por baixo do parque das merendas? Belos passeios esses.

Ana Cláudia Vicente disse...

Também ia muitas vezes à Fonte Mourisca, Rui, mas referia-me à Fonte da Sabuga, mais acima, encostada à Quinta do [Marechal-Duque] Saldanha.