a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

domingo, 7 de maio de 2006

Barcarena, Fábrica da Pólvora

Merendas, bicicletas. Sol na esplanada. Chega o passado em pessoas, escuto-as por uns minutos. Vejo-o. Porque que o terei rebuçado tão docemente?

1 comentário:

escorpiaotenhoso disse...

Talvez porque há muita sensibilidade no seu olhar e escrita?