a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

terça-feira, 3 de maio de 2005

Homens I

De onde quer que se olhe, começa no fim da orelha a mais bela linha. Percorre o pescoço, segue a vertente de um ombro e morre imperceptivelmente na sua curva.

2 comentários:

Afonso Bivar disse...

Começou?

Ana Cláudia Vicente disse...

Como diria o Eriksson: fvamos fver, fvamos fver...