a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 4 de abril de 2005

Trem-Lag V

7:51 a.m. Estação de Rossio ao Sul do Tejo. Magala traz magala pela mão. Magala sorri, triste, e olha magala enquanto espera o comboio chegar. O comboio chega, atrasado. Magala beija magala. Magala abraça magala com força. Já no seu lugar, do outro lado da janela, a magala acena e o magala regressa ao quartel, sem licença de fim-de-semana.

Nada como dantes, no quartel de Abrantes.

2 comentários:

Francis C. Afonso disse...

Bem caçado!!!

Afonso Bivar disse...

Um pitadita, só uma pitadita, de perversidade, não? [aquele "a" redentor]
Vi que foste em meu auxílio. Um beijinho de agradecimento.