a vida depois da vida / eco em museu / canção-vitória / letra empoada / melhor que nada / é memória

segunda-feira, 25 de abril de 2005

Cozinha Tradicional Portuguesa

Junte 12 a 15 pessoas do mesmo clã para um almoço, a pretexto de dar fim a um pato maior que um cabrito. Cozinhe o dito pato. Enquanto o forno trabalha, abra as garrafas de vinho, salte à corda com os putos e fale muito alto com quem já está duro de ouvido. Sente-se à mesa e coma como se não houvesse amanhã. Coma mais um bocadinho de bolo, só para acompanhar o café. Converse sobre coisas sem relevância para quem quer que não esteja ali. Ajude a lavar as panelas. Beba um digestivo. Brinque mais um bocadinho com os putos, depois de lhes mostar o couval e o pomar.

Não faça um ar espantado, caso o único momento incómodo se materialize numa disputa de atenção entre a cadela da senhora de 94 e o menino nascido em 2004. Faça um ar feliz.

2 comentários:

Afonso Bivar disse...

Sabes o que custa mesmo? Alcançar - digo bem: alcançar - a fama de "bicho do mato" (deveria dizer "bicho da seda"?). Uma vez estabelecida, ninguém estranha que sejas avesso(a) a fretes.

Ana Cláudia Vicente disse...

Pode não ter soado, mas mais curioso é que eu deliro com estes fretes. Deliro.